Diga não à chupação de conteúdo - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

terça-feira, 16 de abril de 2013

Diga não à chupação de conteúdo

Alertado por uma colega, fui conferir: nesta segunda-feira, dia 15, o blog Riozinho.net publicou como sua uma notícia escrita e editada pela equipe online do Grupo RIC, pela qual sou o responsável. A notícia sobre um carro que invadiu um supermercado na praia do Campeche foi publicada no site do jornal Notícias do Dia. A chupação foi completa: título, linha de apoio, texto e até a chamada - texto e foto - que os editores postaram no Facebook (veja a chamada do ND e a do Riozinho). Só a foto da notícia que o Riozinho.net preferiu usar a que os colegas do Diário Catarinense usaram (veja um print da publicada no Riozinho).

Sinceramente, fico puto com isso. Ano quem vem faz dez anos que migrei para o jornalismo online. E é dureza ver que o mercado ainda carece de profissionalismo já que, infelizmente, chupação como essa do Riozinho não é um fato isolado. Lamento que muitas vezes o leitor não perceba, não se dê conta e acabe não separando o joio do trigo.

E lamento mais ainda porque sou muito a favor de blogs. Quem acompanha o Coluna Extra sabe bem disso. Só fico triste quando me deparo com blogueiros que aparecem por aí completamente descompromissos com ética e sem qualquer noção do quanto ter um blog exige um nível grande de responsabilidade com o que se escreve e o que se faz.

Conteúdo é um negócio sério. Nem eu nem minha equipe na RIC (assim como muitos colegas de outros blogs, sites e portais) estamos de brincadeira. Produzir conteúdo consome tempo, dinheiro, conhecimento, paciência, criatividade. Não é fácil, enfim.

Se um conteúdo está na internet é porque alguém usou seus conhecimentos e recursos para colocá-lo na rede. E onde sobra oportunismo, falta clareza do que seja compartilhamento de conteúdo. Link foi feito para ser usado. Crédito, para ser dado. Custa fazer isso? Custa entrar em contato para saber se pode ou como faz para reproduzir um conteúdo? Difícil acreditar que possa ser mero desconhecimento.

Muita gente vai encarar como bobagem tudo o que escrevi acima. Vai entrar por um ouvido e sair pelo outro. Cansa, mas não custa tentar mais uma vez: diga não à chupação de conteúdo. E sim para a valorização de quem produz conteúdo e de quem sacou que internet é rede, é relacionamento, é compartilhamento ganha-ganha, correto e bom para todas as partes.

Um comentário:

  1. Ale, lamentavelmente veremos isto cada vez mais. É o ônus da falta de originalidade que impera sobre os conteúdos online.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário