Quando um blog faz dez anos - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Quando um blog faz dez anos

Trouxe aqui para o Coluna Extra trechos do post publicado pelo colega Dauro Veras (@dauroveras) sobre os dez anos (muito bem vividos) do Dveras em Rede, o primeiro blog que lembro de ter acessado, muito antes de me tornar blogueiro. A retrospectiva publicada pelo Dauro inclui algumas dicas preciosas, baseadas na experiência dele à frente do Dveras em Rede, que podem inspirar outros blogueiros, sejam eles novatos ou veteranos. Parabéns mais uma vez, Dauro, pelos dez anos de blog e também pelo ótimo post. Seguem os trechos.

Por que blogo com regularidade há dez anos? Vou levar outros dez pra responder. As principais motivações racionais foram os desejos de criar um espaço de livre-pensar e de usar a ferramenta pra praticar a autodisciplina da escrita. Mas às vezes acho que é pura compulsão mesmo. Mardita compulsão divertida! (...)

O segredo pra blogar durante dez anos: quando estou sem saco ou tempo pra escrever, adoto uma dessas opções: reblogar a mim mesmo, recuperando um texto antigo; reblogar os outros; contar piada; publicar anotação de leitura (aliáas adoro fazer isso e depois reler); publicar uma foto. Também deixo dias sem atualizar, sem remorso, mesmo sabendo que não é o ideal. Essa é uma das vantagens de não ter compromissos publicitários.

Um dilema cotidiano é como preservar a intimidade sem tornar o texto insípido, impessoal. Isso requer bom senso e um delicado equilíbrio, atributos que provavelmente não tenho de sobra, mas estou na busca. Como regra geral não publico meu endereço, fotos dos rostos dos filhos, detalhes da minha vida sexual / intestinal ou referências a reportagens em andamento. Talvez devesse enfrentar melhor a timidez, é uma coisa em que sempre penso. E lembro de meu ídolo John Fante na definição de Bukowski: “Finalmente um escritor que não tem medo da emoção”.


Leia o post completo em Dveras em Rede.

E comente aqui.