As relações perigosas na mídia esportiva - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

As relações perigosas na mídia esportiva

Agora há pouco, a turma do Linha de Passe da ESPN Brasil lembrou e eu fui conferir a coluna do Tostão publicada neste domingo. No texto Relações perigosas, Tostão analisa as críticas feitas pelo lateral Roberto Carlos a Galvão Bueno, culpando o narrador da Globo pelo episódio da meia no gol que eliminou o Brasil da Copa de 2006. O jogador acredita que as críticas de Galvão o transformaram no culpado pela eliminação do time de Parreira. Escreve o Tostão:
A revolta de Roberto Carlos com Galvão Bueno me faz pensar sobre as relações entre jornalistas e jogadores, técnicos e dirigentes.

Quando jogava, havia, mais que hoje, jornalistas que não só assumiam as paixões pelos clubes, como também apenas defendiam e exaltavam seus times. Existia, em Minas, um colunista que só falava do Atlético, outro, só do Cruzeiro e um terceiro, só do América.

Em um clássico entre Atlético e Cruzeiro, dei um drible em meu marcador, que ficou de joelhos. O colunista atleticano, amargurado com a derrota, es creveu que o jogador do Atlético deveria ter me dado um soco para salvar a honra do clube. (...)

A TV Globo não faz excelentes trabalhos e dá ótimos furos somente porque tem competência, ótimos profissionais, além de privilégios. É também porque os jogadores, técnicos e dirigentes adoram aparecer na Globo. Cria-se um vínculo com a TV. Mas quem decide se haverá elogios ou críticas é a audiência. Os atletas, de excessivamente elogiados, passam a ser duramente criticados, como na eliminação do Brasil, em 2006. Daí a revolta de Roberto Carlos.

O jornalista tem de estar perto da fonte e das notícias e, ao mesmo tempo, ter um distanciamento crítico.

Leia a coluna completa.
Para ilustrar o que diz Tostão, um exemplo clássico do quanto os jogadores querem e gostam de aparecer na Globo. O atacante Fred praticamente se escalou para ser personagem de uma daquelas reportagens-premonições do repórter Régis Rösing, que fazem sucesso, mas que eu particularmente não vejo graça porque o texto é sempre muito ruim e piegas. A reportagem com Fred foi ao ar ontem, no Esporte Espetacular, já disponível no Globo.com. Assista.



Siga as atualizações do Coluna Extra pelo Twitter: http://twitter.com/colunaextra

2 comentários:

  1. É fácil colocar a culpa nos outros, e isso tá virando moda no Brasil. A culpa do terremoto no Haiti é dos americanos, a culpa da incompetência do governo é da herança maldita, a culpa da desgraça das enchentes é da chuva... Povo que não assume responsabilidades não tem futuro.

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, as "reportagens" do RR me embrulham o estômago. Texto ruim, BG piegas e pretensamente épicos, e muita intimidade falsa com os entrevistados...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário