A rainha do rádio de Florianópolis em documentário inédito - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

sexta-feira, 12 de junho de 2009

A rainha do rádio de Florianópolis em documentário inédito

Ai, Que Saudades da Neide! é o nome do documentário que a TVCom exibe neste sábado, às 20h30min 8h30min (com reprise no domingo, às 18h30min) e que conta a trajetória de Neide Mariarrosa, a principal cantora da chamada era áurea do rádio de Florianópolis. Ai, Que Saudades da Neide! é resultado do trabalho de conclusão das jornalistas Fernanda Peres e Taise Bertoldi, no Curso de Jornalismo da UFSC. A Fernanda (@fe_peres), com quem trabalhei no clicRBS na época em que ela estava finalizando o vídeo, contou um pouco da trajetória da Neide em um texto publicado no blog do Cacau Menezes e que reproduzo abaixo.
Neide nasceu em Florianópolis, em 1936, e aos 14 anos começou como cantora da rádio Guarujá, onde também foi radioatriz e locutora. Na década de 1950 (mais especificamente depois de 1955) passou a integrar o casting da Rádio Diário da Manhã (atual CBN, mas a programação naquela época era beeem diferente). Em 1962 a cantora Elisete Cardoso, muito famosa na época, veio fazer um show em Florianópolis e foi recepcionada por Neide. Nasceu aí a amizade que levou Neide no ano seguinte a tentar a carreira no Rio de Janeiro, com Elisete como madrinha.

Durante os cerca de sete anos que ficou no Rio, Neide participou de programas de TV, protagonizou um show de samba no Golden Room do Copacabana Palace, defendeu canções de Edu Lobo e Pixinguinha em festivais da canção e passou a conhecer e a conviver com músicos do calibre de Jacob do Bandolim e Baden Powell.

Não se sabe se por saudade ou o que, mas em 1970 ela resolveu voltar para Florianópolis, onde ficou até sua morte, em 1994, cantando com grupos de música regional (como o Vibrações, do Wagner Segura) e de jazz (como a Orquestra Quebra com Jeito, da Silvia Beraldo e da Denise de Castro). Mesmo já bastante debilitada, Neide participou de dois shows em sua homenagem e para angariar fundos para seu tratamento de saúde. Apesar da aparência frágil, Neide surpreendeu ao cantar como nunca e emocionou pela força de vontade de continuar cantando.
A TVCom pode ser assistida pela internet. E no site Caros Ouvintes, que pesquisa e reúne informações sobre o rádio, especialmente o de Florianópolis, de onde tirei a foto que ilustra este post, há um texto do jornalista Ricardo Medeiros com mais detalhes sobre a carreira de Neide Mariarrosa (o gancho do Ricardo foi a homenagem feita pela escola de samba Consulado, que escolheu Neide como tema de um de seus carnavais).

Atualizado às 18h40min: O DC Online disponibilizou um trecho do documentário.



[Siga as atualizações do Coluna Extra pelo Twitter: http://twitter.com/colunaextra.]

Um comentário:

  1. Anônimo6:40 PM

    Olá.. assisti recentemente o documentário na TV Com. Emocionante. Nascido aqui e com 35 anos não sabia da existência de uma cantora tão fantástica - ainda mais sendo manezinha . Parabéns aos produtores e à Neide, que deu um banho!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário