É proibido inticar - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

segunda-feira, 16 de março de 2009

É proibido inticar

O momento bizarro do clássico entre Avaí x Figueirense, disputado neste domingo, aconteceu antes da bola começar a rolar: a Polícia Militar ordenou a retirada de uma faixa colocada pela torcida do Avaí no parapeito da arquibancada central da Ressacada. A faixa trazia escrito “Série B”, com uma seta apontada para a esquerda, onde estava a torcida do Figueirense, rebaixado para a série B - uma inticada criativa e muito bem humorada. A PM não achou graça. Segundo relatos de torcedores na principal comunidade do Avaí no Orkut, primeiro alegaram que a faixa estaria encobrindo uma placa publicitária. Mas como a faixa - bem maior - de uma das organizadas do Figueirense estava sobre cerca de três placas (e ficou assim o jogo inteiro), a desculpa não colou. E aí, para os repórteres das rádios, contaram outra: a faixa, para a PM, seria uma provocação com a torcida do Figueirense e poderia ser o estopim para algum tipo de confusão. Não seria melhor levar na esportiva? Não por acaso, a atitude da PM mereceu vaias da torcida e também esteve na lista de coisas negativas do clássico nos programas pós-jogo das emissoras de rádio.

A foto que ilustra o post foi feita pela torcedora Monica Bruno.

Atualizado às 21h43min: Durante todo o dia, além da retirada da faixa, surgiram relatos de outras ações nada amistosas de policiais militares contra a torcida do Avaí no empate em 1 a 1 contra o Figueirense, ontem, na Ressacada. Também foi noticiada uma atitude inconveniente das pessoas que estavam num camarote destinado à diretoria do Figueirense nas sociais do Avaí. No gol do time deles, ele jogaram cerveja e até gás de pimenta na torcida do Avaí que estava nas cadeiras abaixo. Um policial militar, torcedor do Avaí, que assistia ao jogo com a esposa e os dois filhos, foi um dos atigindos e enviou e-mail para blogs relatando o ocorrido. Diante dos acontecimentos, a diretoria do Avaí publicou nota de repúdio no site do clube. Reproduzo abaixo.

Nota de repúdio
16/03/2009 - 19:28

A Diretoria do AVAI FUTEBOL CLUBE vem a público manifestar seu REPÚDIO aos seguintes fatos ocorridos no jogo Avai x Figueirense, realizado no Estádio Aderbal Ramos da Silva, no dia 15 de março de 2009:

a) A atitude de excesso da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina que retirou da posse de torcedores do Avai Futebol Clube uma faixa com os dizeres “Série B”, afetando assim o direito de livre manifestação garantido pela Constituição da República;

b) A atitude inconveniente de pessoas ocupantes do camarote destinado à Diretoria do clube visitante que inadvertidamente arremessaram objetos nas cadeiras sociais do setor A do Estádio da Ressacada, inclusive gás de pimenta.

Diante desses fatos a Diretoria informa que está oficiando o comando da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina e a Promotoria de Justiça Militar para que conheça e adote as medidas cabíveis.

Informa, por último, que no Estádio Aderbal Ramos da Silva caberá única e exclusivamente à Diretoria do Avai Futebol Clube a análise da conveniência da retirada de faixas e manifestações na forma das competições e da Constituição da República.

A Diretoria.


[Siga as atualizações do Coluna Extra pelo Twitter: http://twitter.com/colunaextra.]

3 comentários:

  1. E a faixa? Não tem foto?

    ResponderExcluir
  2. Olá Alexandre,
    a faixa assim como o mosaico do setor B, foi de autoria nossa, da comissão de festas do Setor B. Infelizmente a PM nao nos autorizou deixar a faixa que de forma sadia estava ali pra "inticar" com criatividade.

    Mas como podemos perceber, o tiro saiu pela culatra e acabou repercutindo muito mais que se ela simplesmente estivesse ficado ali no parapeito.

    Aproveito pra agradecer o post e ajudar a divulgar a atitude da PM que por todos da imprensa foi reprovada.

    No blog que temos para divulgar todas as fotos das festas realizadas e futuras que estaremos fazendo, fique a vontade de participar do blog.

    Abraços,
    Thiago Pravatto

    ResponderExcluir
  3. Sabe aquela história aquela história da banheira e do bebê? É isto que está acontecendo nos estádios. Para coibir a violência, querem proibir a corneta, que é a parte mais divertida do futebol. Estão jogando o bebê junto com a água suja. Estão querendo tirar a graça e a criatividade das torcidas. E olha, não torço Avaí nem Figueira. Mas torço sempre pelo bom futebol e pelo bom humor.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário