Entenda (também) pela capa - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

domingo, 21 de dezembro de 2008

Entenda (também) pela capa

Nem a capa ficou de fora da homenagem de Zé Ramalho ao ídolo Bob Dylan no disco Zé Ramalho canta Bob Dylan - Tá tudo mudado. Para embalar as versões do disco, Ramalho recriou na capa a cena do clássico clipe de “Subterranean Homesick Blues”, retirado do documentário Dont Look Back, que registra a turnê de Dylan pela Europa em 1965 (assista ao clipe).

Não é a primeira vez que a capa de um disco de Zé Ramalho é inspirada em um clássico do rock. Lançado em 2000, Nação nordestina traz uma “versão” da capa de Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, colocando lado a lado ícones da cultura do Nordeste como Luiz Gonzaga, Lampião, Jackson do Pandeiro, Fagner, Maguila e o próprio Zé Ramalho.

Repetir a idéia da capa com referências talvez não seja um lampejo criativo. Mas faz sentido tanto “parecer” Dylan quanto recriar os Beatles. Ambos os casos passam longe do tom engraçadinho de uma simples paródia. E tampouco revelam uma ação oportunista. Estão dentro de um contexto e, mais importante, deixam claras as referências do cantor. Algo bem diferente, por exemplo, da capa do disco de 2006 do cantor Leonardo, que é uma copia escancarada do cartaz do filme Johnny e June. Na época, o próprio Leonardo admitiu a cópia. “É uma cópia mesmo, mas não sabia não. Tudo bem”. Tudo bem até quando a criatividade é zero?

3 comentários:

  1. Caro Alexandre.
    A notícia de que Zé Ramalho estaria gravando um álbum com versões de Bob Dylan me deixou curioso. Depois fiquei com a sensação de que seria uma jogada arriscada. Mas após ouvir o CD com atenção e bom humor, é fácil perceber que Zé Ramalho é um dos poucos artistas nacionais, para não dizer o único, que podem se dar ao luxo de gravar Dylan, e até mesmo permitir-se pequenas trangressões nas letras, como por exemplo a ousadia em transformar Mr. Tambourine Man em Jackson do Pandeiro, ou ainda a forçadinha sonora usada para associar "how does it feel" com "deve ser ruim". Isso sem falar na inclusão do filme Tropa de Elite na versão para Toombstone Blues. Enfim, eu diria que Tá Tudo Mudando é mais que um álbum novo do Zé. É um Admirável Álbum Novo.

    ResponderExcluir
  2. Muitos dos fãs de Dylan ao saber que ZR iria gravar um cd em homenagem ao seu ídolo torceram o nariz, pensavam que era apenas mais uma das muitas homenagens ao cancioneiro filho da Terra do Tio Sam achando que o nosso Zé não estava à altura de cantar para o Bob, mas se renderam à voz e inteligência de nosso Cantador.

    ResponderExcluir
  3. Rodolfo Tornesi9:14 AM

    O trabalho é como toda a obra de Zé Ramalho... Uma obra que tráz ao público, surpresa, talento e muita criatividade.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário