Sintomas da “malice” digital - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Sintomas da “malice” digital

Em artigo intitulado “Você é um ‘e-mala’?”, Christian Barbosa, especialista em gerenciamento de tempo e produtividade pessoal e empresarial, aponta os sintomas clássicos dos profissionais que têm péssimos hábitos no uso do correio eletrônico. “Em uma recente pesquisa que minha empresa conduziu, descobrimos que o brasileiro gasta em média três horas por dia para lidar com seus e-mails, o que é muito tempo e que pode ser muito mal aproveitado se as pessoas ao seu redor não se conscientizarem em adotar bons hábitos para lidar com eles”, escreve Barbosa.

Abaixo, a lista dos sintomas do “e-mala”, segundo Christian Barbosa.
- Mister Urgência: se todos seus e-mails são para ontem, se tudo que você manda é imediato e precisa ser feito na hora, se você liga depois de enviar um e-mail e pergunta se a pessoa viu seu e-mail urgente, existe algo errado com seu planejamento pessoal e sua rotina diária.

- Caixa de Entrada Lotada: todo “e-mala” possui mais de 100 e-mails na Caixa de Entrada. Em geral é a pessoa que vive comentando que não recebe os e-mails dos outros, que pede informações que chegaram no e-mail mas ele não sabe pois não leu ainda. É comum também demorar um tempão para achar uma mensagem no meio de tantos e-mails não lidos ou mal organizados.

- Copia todos: é sempre melhor que todos fiquem sabendo do assunto do que apenas um, certo? Talvez lá na escola você adorasse que todo mundo parasse para ouvir suas histórias, não é? Em geral também gosta muito de responder a todos, pois é o botão maior no Outlook e ele sempre salta no seu clique.

- Assuntos Bizarros: o conteúdo do seu e-mail fala sobre o resultado da última reunião de diretoria, mas o assunto é algo do tipo: “O gato subiu no telhado” ou qualquer coisa do gênero. Em um e-mail o assunto deve resumir em uma frase o conteúdo do mesmo e não ser uma frase criptografada que até um hacker teria dificuldades em decifrar.

- Correntes: o “e-mala” adora mandar correntes com frases bonitas, apresentações divertidas, vídeos engraçados, tem medo que caia sua orelha ou que Deus fique bravo com ele se a mensagem não chegar a 20 pessoas pelo menos.

- E-mails sem ação: a maioria dos e-mails é composta de informações e ações que devem ser tomadas, mas o “e-mala” só sabe passar a informação e deixa os próximos passos indefinidos ou ambíguos.

- E-mails longos: todo “e-mala” tem o DNA do mala clássico, que você sempre evita. Adora ficar falando horas sem ter muito o que agregar e que sempre acaba atrapalhando. Isso aplicado no e-mail cria mensagens muito extensas, sem objetividade e chatas de ler. O ideal é manter um e-mail com menos de quatro parágrafos (aproximadamente 1000 caracteres).
Vestiu a carapuça? Ou identificou algum “e-mala” na mesa ao lado? E é claro que o perfil não é exclusivo do ambiente corporativo. “E-mala” tem em tudo quanto é lugar.

Tags:

Um comentário:

  1. Jamais confundir com o "malino". Este além de chato é malvado.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário