“Devemos ter muito mais ações na internet” - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

“Devemos ter muito mais ações na internet”

0 No ar desde o dia 4 de agosto, o Brasil Digital, blog atualizado por sete executivos da filial brasileira da Intel, já soma mais de cinco mil page views e é o terceiro mais acessado entre blogs da empresa editados em outros dez países. O Brasil Digital está atrás apenas dos blogs da Intel nos Estados Unidos e na China. “Estamos conseguindo atingir o público interessado em Tecnologia da Informação e nos surpreendemos com a interação, com os debates propostos e com os comentários em geral”, diz Elber Mazaro, diretor de Marketing da Intel. Em entrevista exclusiva ao Coluna Extra, por e-mail, além de avaliar o retorno que a ação vem obtendo, Manzaro conta como a criação e o uso do blog se enquadram na estratégia de comunicação da empresa. Ele também diz que ações como o blog e o curta-interativo Mais de mim não ocorrem por acaso. “A Intel tem definido claramente a prioridade de investir na internet em sua linha de comunicação”, diz.

A seguir, a entrevista com Elber Mazaro, diretor de Marketing da Intel no Brasil.

Coluna Extra - Qual é o papel do blog Brasil Digital na estratégia de comunicação da Intel?

Elber Mazaro - O blog vem a ser mais uma ferramenta para compor essa estratégia de comunicação. Uma ferramenta um pouco menos formal, uma ferramenta que permite um contato um pouco mais direto entre os funcionários da Intel, de áreas diferentes, com pessoas do mercado de tecnologia. A ferramenta apresenta um grande potencial, como a internet em geral. O blog vem fazer parte do mix de novas mídias que a Intel está colocando no mercado. E é hoje uma inovação, mas, ao mesmo tempo, já é importante na estratégia de comunicação da empresa. E com o blog, temos como público-alvo profissionais de Tecnologia da Informação, imprensa, estudantes e entusiastas por tecnologia. Em resumo, a gente quer se comunicar com quem tem interesse em tecnologia, inovação, negócios associados a este mercado como um todo, independente de ser empresa ou pessoa física.

Coluna Extra - Qual tem sido o retorno do blog?

Mazaro - Estamos conseguindo atingir o público interessado em Tecnologia da Informação e felizes com a interação, com os debates propostos e com os comentários em geral. O brasileiro, no entanto, tem o perfil favorável a se comunicar, interagir, e uma ferramenta como o blog, por todas as pesquisas que a gente tem, tem um espaço muito grande no Brasil. Ficamos muito contentes, satisfeitos e positivamente surpresos com os números, mas já esperávamos que o Brasil, assim como foi com o IT Manager Game, assim como nas campanhas de marketing local, que o blog fosse ter uma aceitação muito positiva, favorável e de impacto no mercado.

Coluna Extra - O lançamento do blog ocorreu quase simultaneamente ao lançamento do Mais de Mim. Isso foi coincidência ou a Intel pretende adotar mais ações inovadoras e na internet?

Mazaro - Não, não foi uma coincidência. As duas ações foram lançadas juntas por dois motivos: primeiro porque temos ciclos de processos de planejamento e desenvolvimento de projetos, que são anuais, semestrais e trimestrais, que fazem com que você planeje, execute e, mais ou menos no mesmo período, tenha vários projetos sendo ofertados para o mercado. O segundo motivo é porque a Intel tem definido claramente a prioridade de investir na internet em sua linha de comunicação. Investir tanto em comunicação direta como recursos de Intel Inside, como as nossas próprias campanhas. Então, o fato de ambos serem soluções de comunicação corporativa, endereçando o mundo de internet, não é uma coincidência, é uma estratégia da companhia, que prioriza esse segmento. E essas duas ações não são as únicas iniciativas que temos neste segmento, nem mesmo as últimas. Devemos ter muito mais.

Coluna Extra - Como ficam os investimentos na chamada “mídia tradicional”?

Mazaro - Hoje estamos fazendo um balanço e depende muito da audiência. Com o fenômeno da inclusão digital, com o grande volume de vendas de computadores, cada vez temos mais consumidores conectados à internet e, para eles, os meios digitais são uma boa forma de trabalharmos a segmentação, mensagem, até entretenimento e levar a comunicação para este segmento. Do outro lado, existe muita gente no Brasil que ainda não tem acesso ao computador, ou que pretende ter esse acesso em breve e, para estes, já não é tão efetiva a internet. Aí temos um espaço grande para continuar usando a mídia tradicional. Ao mesmo tempo, enxergamos a mídia tradicional como um complemento. Um exemplo disso é a campanha “Mais de Mim”, onde usamos mídia tradicional para chamar as pessoas para acessar a mídia digital. A gente acredita na integração das mídias e, quanto melhor essa integração, maior o impacto que podemos ter no mercado. Mas isso não quer dizer que a gente vá para um lado ou para o outro exclusivamente.

Coluna Extra - Ainda sobre esta questão, também recentemente, a Intel, através da agência McCann, divulgou uma pesquisa sobre social media. Como você avalia os resultados da pesquisa e qual o peso dos resultados no planejamento da Intel em termos de investimentos?

Mazaro - De certa forma, a pesquisa vem ratificar uma coisa que já acreditávamos: que o brasileiro está entre os povos que mais acessam a internet, que mais fazem uso das ferramentas, especialmente quando se diz comunidades, quando se fala de comunicação. Essas são características inerentes ao povo brasileiro, com aspectos culturais, e que se refletem de forma muito intensa na internet. Quando a gente constrói um plano de comunicação para a empresa, a gente tem que ter isso em mente. No caso da Intel, isso tem de ser levado em consideração por dois ângulos. Primeiro, como qualquer empresa, como uma ferramenta, um veículo de comunicação com o seu público, com seus clientes e consumidores. E segundo, porque, no nosso caso, a relação com esses clientes é especial uma vez que a maioria deles pode estar usando um computador baseado em tecnologia Intel para ter acesso a tudo isso. Não só estamos falando com um segmento, mas provavelmente, com pessoas que já são, ou estão para ser clientes e que estão usando um computador para isso. Por termos uma ampla participação de mercado, provavelmente esse computador deva ser baseado em tecnologia Intel, em pelo menos 8 de cada 10 usuários. Além de ter toda a tecnologia Intel por trás de todos os servidores, provedores, de quem está levando a experiência para o consumidor. Então temos uma preocupação dupla.

Tags: ,

Um comentário:

  1. Rodrigo Lóssio8:49 AM

    Alexandre, ótima entrevista. Realmente é um case referente a ser citado. Conferi a interação entre os blogueiros e os visitantes - comunicação clara, objetiva, direta, rápida. Muito mais que articulistas, eles estão se tornando blogueiros mesmo.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário