Fatos ocultos - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

segunda-feira, 16 de outubro de 2006

Fatos ocultos

A reportagem de capa da edição desta semana da Carta Capital mostra em detalhes o episódio da divulgação das fotos do dinheiro do chamado dossiê Vendoin. Assinada pelo experiente jornalista Raimundo Pereira, a reportagem reúne fatos que indicam uma relação, no mínimo, de cumplicidade entre veículos de comunicação (como a TV Globo) e o delegado envolvido no caso (que teria ajudado o candidato do PSDB a chegar ao segundo turno). “A matéria é uma aula de jornalismo sobre o antijornalismo que parece ter tomado definitivamente conta da mídia”, escreve o jornalista Luís Nassif em seu blog.

Para Nassif, “a reportagem de Raimundo não é partidária, não é militante, não é raivosa, não trata a falta de escrúpulos com falta de escrúpulos”. “É fria e lógica como uma cirurgia de especialista. Não desperdiça palavras, não gasta acusações, apenas confronta princípios básicos de jornalismo com a atitude de cada veículo, repórteres e direção, no episódio em pauta”, atesta.
O reportagem completa só pode ser lida na versão impressa da Carta Capital. No site da revista, no entanto, é possível ler o trecho inicial.

Os fatos ocultos
A mídia, em especial a Globo, omitiu informações cruciais na divulgação do dossiê e contribuiu para levar a disputa ao 2º turno
Leia também: Requiém do jornalismo, por Luís Nassif
Tags: , ,

Um comentário:

  1. Alexandre, pois eu discordo radicalmente. E recomendo o artigo do Dines no OI. Houve erros neste episódio, sim, mas o que a CC, o Nassif e outros estão fazendo é criticar os jornais e a Globo para, na verdade, defender o governo. Nassif é companheiro do Franklin Martins no time dos jornalistas lulo-petistas. Me diga o que você faria se uma fonte da PF lhe passasse a mesma informação em off? É claro que a divulgação interessa a alguém. Aos tucanos, é claro. Mas e daí? O que importa é que a informação é autêntica. E outra coisa: nada disso teria acontecido se a PF tivesse divulgado as fotos da dinheirama, como sempre faz. Mas o advogado criminalista do Lula não deixou, não é mesmo? Daí alguém vai vazar, mesmo. E é ingenuidade achar que não se deve divulgar informação porque ela vai beneficiar este ou aquele.
    abs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário