Vai começar - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

quinta-feira, 8 de junho de 2006

Vai começar

De olho na Copa, mas ligado nas vendas

Costuma-se dizer que o país pára em dia de jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Por mais exagerada que pareça, a afirmação tem lá seu fundo de verdade. No varejo, especialmente naquelas lojas que vendem e expôem televisores nas vitrines, a situação é ainda mais visível e no meio da “torcida” não é difícil encontrar vendedores mais preocupados com o resultado do jogo do que com o resultado das vendas.

Tudo isso é muito natural. Afinal, somos ou não somos o país do futebol??? Mas, Ronaldinhos à parte, é preciso cuidado. O clima é de Copa, a loja pode (e deve) estar decorada de verde e amarelo, mas os vendedores não podem esquecer seu papel. E se aparece um cliente que não está nem aí para a Copa? O que ele vai pensar se entrar na loja e encontrar um vendedor no “mundo da bola”, com atenção voltada para o que acontece na Alemanha e não para o “mundo das vendas”?

Nessa situação, o gerente deve ponderar uma série de fatores. O principal é que não dá para criar um clima de Copa do Mundo na loja e quando a bola finalmente rola, os vendedores são colocados “em impedimento”. Não seja “cruel”, não impeça que eles assistam e torçam pelo Brasil. Mas deixe claro qual é o procedimento que eles devem seguir em dia de jogo. Por exemplo, você pode indicar que eles não fiquem todos agrupados num mesmo canto da loja. “Posicione” o time de vendedores de modo que eles assistam ao jogo sem que os clientes percebam qualquer alteração na rotina da loja. Ou seja, vendo de fora, deve-se ter a idéia de que os vendedores estar prontos para atender ao cliente e não apenas assistindo a Copa. Outro lembrete importante é que apesar da “muvuca” causada pela Copa, o vendedor deve manter o foco quando estiver frente a frente com o cliente. E que deixe a Copa rolando na TV e preocupe-se apenas em ouvir o que o cliente deseja. Assim, não só o Brasil que será campeão. Sua loja também.

(Publicado na edição de junho da coluna +Gerente, que escrevo na Revista do Varejo.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário