Prestação de serviço em qualquer horário - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

quarta-feira, 10 de maio de 2006

Prestação de serviço em qualquer horário

Houve um momento, uns três atrás, que as emissoras de rádio AM de Florianópolis apostaram que seguir o modelo das FMs era o caminho. Muito música e locução animada e descontraída em praticamente toda programação. Hoje, o que se ouve é justamente o contrário. As emissoras descobriram o poder da fala e é cada vez maior o tempo destinado a programas voltados para o noticiário com foco no esporte e na prestação de serviço à comunidade.

Mas há um porém.

Florianópolis viveu no final de tarde desta quarta-feira, um dos maiores congestionamentos dos últimos anos. A Avenida Gustavo Richard (acesso à ponte Colombo Salles), Via Expressa Sul (acesso ao túnel Antonieta de Barros), Beira-mar Norte (sentido Koxixos-Ponte Hercílio Luz), rua João Motta Espezim (Saco dos Limões), rua Capitão Romualdo de Barros (Carvoeira) e rua Deputado Antônio Edu Vieira (Pantanal) eram alguns dos pontos com filas intermináveis. E como eu sei isso? Simples, passei por essas ruas. As rádios veicularam informações sobre o caos durante a programação entre as 18h e 19h. Mas o problema é que o congestimento não terminou às 19h. O trânsito continuou parado por ainda mais tempo, enquanto que nas rádios o espaço era para a Voz do Brasil e não para orientações ou informações sobre vias alternativas e locais com mais ou menos engarrafamento.

E se o mote das emissoras AM é a prestação de serviço, por que não seguir o exemplo das emissoras de outras cidades e ocupar a faixa das 19h as 20h com informações sobre trânsito e utilidade pública para quem está saindo do trabalho e indo para casa? No caso da cidade de São Paulo, as principais emissoras ganharam na Justiça o direito de veicular a Voz do Brasil em outro horário ou até de suspender a veiculação (como é o caso da CBN). É uma alternativa até que a obrigatoriedade dê lugar à flexibilidade no horário da Voz do Brasil. Para os motoristas-ouvintes faria uma enorme diferença.
“A Voz do Brasil” sem ditadura
por Eugênio Bucci, presidente da Radiobras
(publicado em 6 de março de 2006, na Folha de S.Paulo)
Voz do Brasil no Coluna Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário