O computador a serviço da música - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

terça-feira, 25 de abril de 2006

O computador a serviço da música

Autor do livro “Fazendo Música no Computador”, o músico Luciano Alves fala ao Coluna Extra sobre o uso do computador e da informática na produção musical, dos benefícios aos erros. Pianista, tecladista, compositor, arranjador, professor e analista de softwares e instrumentos musicais, Alves inclui no currículo passagem pelos Mutantes e participação em discos de diversos artistas. Além de “Fazendo Música no Computador”, que está sendo lançado em 2ª edição pela Editora Campus, ele já lançou outros cinco livros sobre teoria musical.

Coluna Extra - Qual o principal benefício gerado pela aplicação do computador/informática na música?

Luciano Alves - A liberdade do músico poder gravar seus CDs em estúdio próprio (home studio) sem a dependência ou a interferência de gravadoras, a um custo bem razoável.

Coluna Extra - Qual o maior erro que um músico/produtor pode cometer ao usar a informática na produção musical?

Alves - Usar trechos contendo a criação de outros músicos, ou seja, loops de CDs de outros artistas. Os loops devem ser usados apenas para agilizar o processo de criação musical e experimentação de arranjos. Na finalização de um CD de carreira, deve-se seqüenciar tudo "na mão" ou, preferencialmente, chamar músicos para tocar.

Coluna Extra - A máxima de que com o computador qualquer um pode fazer e gravar sua música é verdadeira? É assim simples? O que é mais necessário: conhecimento musical ou conhecimento em informática?

Alves - A máxima é verdadeira. O leigo musical pode gravar áudio ou seqüenciar MIDI nota a nota e montar uma composição inteira. O único problema é que o resultado da gravação por trechos fica muito mecanizado, longe do que podemos chamar de música verdadeira. Para fazer música eletrônica (trance, house, techno, etc.) basta conhecimento do software gravador/seqüenciador. Para fazer música em grande estilo é necessário conhecimento musical. No caso dos engenheiros e técnicos de som, para registrar música tocada por músicos reais é necessário conhecimento de informática sendo que, se tiverem conhecimento musical, as sessões de gravação no computador fluem com mais eficiência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário