Não caia nessa! - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

sábado, 8 de outubro de 2005

Não caia nessa!

Se receber um email com a mensagem ao lado, cuidado: não clique em nenhum link. Delete na mesma hora porque essa mais uma daquelas mensagens (com vírus ou programas maliciosos) que jogam uma isca para fisgar um internauta desavisado ou que, por uma grande coincidência, esteja com problemas com algum órgão público, neste caso o Tribunal Superior Eleitoral. E como estamos próximos ao referendo sobre a proibição do comércio de armas, muita gente pode ficar cabreira com a informação de que seu título de eleitor foi cancelado provisoriamente (sic).
Recebi essa mensagem, ontem (7) (aliás, erraram a data na mensagem: colocaram 7 de setembro em vez de 7 de outubro), mas o golpe não é novo. Veja a notícia publicada no dia 5 de agosto deste ano, no site do TSE:

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Carlos Velloso, solicitou ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que o Departamento de Policia Federal atue na identificação da origem da falsa mensagem eletrônica que vem sendo encaminhada a eleitores de todo o Brasil, veiculando o cancelamento provisório do título eleitoral do destinatário e solicitando a atualização dos dados cadastrais.

Em comunicado publicado hoje nos principais jornais do país, o Tribunal Superior Eleitoral alerta que estão circulando e-mails em nome do Tribunal comunicando o cancelamento de títulos eleitorais e solicitando a atualização de dados cadastrais para a Justiça Eleitoral. O TSE informa que não envia e-mail a eleitores, nem autoriza nenhuma outra instituição ou parceiro a fazê-lo em seu nome, e que mensagens desta natureza devem ser apagadas, pois podem conter vírus de computador.

O e-mail, que vem sendo enviado indevidamente em nome da Justiça Eleitoral, informa que o título eleitoral foi cancelado por irregularidade no Cadastro de Pessoa Física (CPF) e pede que o destinatário abra um link para saber mais detalhes sobre as irregularidades. Ao clicar no link, o eleitor abre as portas do computador para a entrada de vírus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário