7 notas # 14 - Coluna Extra

Primeiro Digital - o blog do jornalista Alexandre Gonçalves

Destaques do site Farol Reportagem

Destaques do Laranjas - A verdade até as primeiras consequências

segunda-feira, 3 de outubro de 2005

7 notas # 14

Afinado com “Vivo”, disco de Celso Blues Boy (1991)!

O côncavo...
Chega às lojas nesta semana o novo disco de Lulu Santos, Letra & Música. Puxado pela regravação de “Popstar”, sucesso nos anos 80 do grupo João Penca e os Miquinhos Amestrados, o disco marca a volta de Lulu à produção e também demonstra uma reaproximação ao estilo que o consagrou, mais próximo das guitarras do que das batidas dançantes. O clipe de “Popstar” traz a participação especial de Selvagem Big Abreu, um dos Miquinhos, no papel do pai que não aceita o popstar como genro.

...e o convexo
Quem também está com disco novo na praça é Marcelo Nova, outro representante de peso do rock brasileiro dos anos 80, ex-Camisa de Vênus e último parceiro de Raul Seixas. Galope do tempo, lançado de forma independente, traz 16 músicas inéditas e todos com teor autobiográfico e que seguem uma certa ordem cronológica, da abertura com “Fecundado” à “A canção da morte”, que encerra o disco. A música de trabalho é “Ninguém vai sair vivo daqui”.

Diferenças
Mais do que contemporâneos, Lulu Santos e Marcelo Nova são antagônicos. Lulu, ainda que tenha alimentado a fama de temperamental, se consagrou como um dos maiores hitmakers do rock brasileiro, freqüêntador assíduo das rádios e com a capacidade de agradar pais e filhos. Nova, por sua vez, à frente do Camisa de Vênus, entrou para a história pela relação de extrema cumplicidade com o público, perpetuada pelo grito de guerra “bota pra fuder” e pelo disco Viva, de 1986. Gravado ao vivo em Santos, o disco teve oito de suas dez faixas proibidas pela censura por conta dos “palavrões” inseridos em sucessos como “Eu não matei Joana D’arc”, “Hoje”, “Sílvia”, “O Adventista” e outros.

Correndo por fora
Numa premiação dominada por artistas do cast resultante da fusão SonyBMG, o grande destaque da edição 2005 do Vídeo Music Brasil, da MTV foram os três prêmios concedidos ao trio Autoramas nas categorias Clipe Independente, Fotografia e Direção com o clipe de “Você sabe”. Comandado pelo guitarrista Gabriel Thomaz (co-autor do sucesso “I saw you saying”, gravada pelos Raimundos), o Autoramas já passou pela multinacional Universal, mas retornou ao universo independente via Monstro Discos, por onde lançou seu disco mais recente, um power-rock temperado com influências da surf-music, Jovem Guarda, new wave e punk.

Por falar em MTV...
No próximo domingo (9), vai ao ar o MTV Apresenta Cordel do Fogo Encantado, gravado em julho. O programa começa às 19h.

Casquinha atrasada
Os 40 anos da Jovem Guarda já foram comemorados com shows, discos e programas especiais. Mas como é praxe revisitar o farto estoque de sucessos do movimento que ajudou a criar uma cultura de música jovem no Brasil, o Programa Raul Gil reuniu um grupo de calouros no domingo (2) para a gravação do DVD 40 anos de Jovem Guarda. Ainda sem data de lançamento, o repertório traz regravações para “Coração de papel”, “Esqueça”, “Querida”, entre outras.

Para todos os gostos
Na quarta-feira (5), a cantora Ná Ozetti, acompanhada pelo pianista André Mehmari, apresenta no Teatro Álvaro de Carvalho (21h, R$ 25,00) o show Piano & Voz, nome também do disco lançado este ano pela dupla. Já na quinta-feira (6), o projeto Trama Universitário passa novamente por Florianópolis e desta vez a atração é a banda Nação Zumbi. O show, exclusivo para para universitários cadastrados no site do projeto, acontece no Lagoa Iate Clube (???). E no domingo, Adiana Calcanhoto, ou melhor, Adriana Partimpim faz show para crianças no Teatro do CIC, às 16h. No repertório, o sucesso “Fico assim sem você”, originalmente gravada por Claudinho e Buchecha.

Para envio de sugestões (discos, shows, etc), escreva para agenteinforma@gmail.com, colocando “7 notas” no campo “Assunto”.

Redação e edição: Alexandre Gonçalves

Reprodução permitida, desde que solicitada por email ou nos comentários.

Edição anterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário