sexta-feira, 23 de maio de 2014

Após 10 anos, o último post do Coluna Extra

Há exatos 10 anos, o Coluna Extra entrava no ar. Considero a data - 23 de maio de 2004 - como minha entrada oficial no webjornalismo, ainda que antes já houvesse experimentado outras plataformas de blog que não o Blogger e também feito a newsletter Alex Informa entre 2000 e 2001. Estou completando, por tabela, 10 anos de jornalismo online. Foi com o Coluna Extra que mergulhei de verdade na internet. Na época, o blog nasceu como uma alternativa - daí o nome - para que eu pudesse escrever sobre assuntos que me interessavam e que não tinham relação com o meu dia a dia profissional como editor-chefe de revistas de economia e negócios na editora Empreendedor - onde ainda em 2004, migrei para edição do site. Abri o blog, portanto, para escrever sobre música, futebol e até arriscar algumas ficções.

Só que no decorrer do meu envolvimento com internet, o Coluna Extra virou meu laboratório profissional. Foi aqui que descobri muitas manhas do HTML, básicas, mas que me deram base para criar, entender e passar para colegas jornalistas, programadores e webdesigners o que pretendia ou acreditava ser o correto, o mais indicado. Testei muita coisa aqui que levei para os lugares onde trabalhei desde então. Do uso de blogs, da organização de conteúdo, da curadoria de tweets, da criação de blogs coletivos, da gestão de conteúdo de redes sociais, passando pela concepção de produtos e estratégias, chegando na abertura da minha empresa de internet - a agenteinforma: tudo partiu daqui.

Sem falsa modéstia, o Coluna Extra me abriu um grande mercado. Com meu empenho somado ao apoio dos amigos que acompanharam e compartilharam meu conteúdo e ideias conquistei o espaço que tenho. E não tenho dúvida disso. Se estou onde estou, gerenciando toda a unidade de internet do Grupo RIC em Santa Catarina, aprendi a fazer a partir do Coluna Extra.

Por conta justamente das atribuições profissionais que tenho desde 2011, o Coluna Extra de certa forma voltou a ter um perfil parecido com o do início. A parte de laboratório de ideias para internet, por razões óbvias, ficou de lado, reservada para as plataformas de testes que temos no Grupo RIC. Em paralelo, assumi a gestão de dois novos canais online na RIC: #CaEntreNos, o blog da redação online no RIC Mais, e Mirante, uma coluna online sobre Florianópolis dentro do ND Online.

Diante dessa "retomada" do perfil antigo do Coluna Extra e aproveitando que estou neste dia 23 de maio em São Paulo, completando o primeiro módulo do curso aplicado de Jornalismo Digital do IICS, achei ser esta uma data significativa para isto: publicar este que é o último post do blog. Não irei apagar o conteúdo. Vou seguir com o conteúdo ativado, mas sem novas atualizações. Tenho conteúdos antigos que são muito acessados ainda via Google e não acho justo deixar esses leitores na mão. Leitores, aliás, que agradeço imensamente por tudo. Pela leitura, pelos comentários, pelos compartilhamentos, pelos pedidos, pelos links, pelo seguir no Twitter e pelo curtir no Facebook. E pelos elogios e críticas, sempre bem-vindas.

Espero sinceramente que ao longo desses 10 anos eu tenho informado, instigado, inspirado, divertido, enfim, que tenha provocado ações e reações. Sempre acreditei no modelo de blog misto. Ou seja, procurei ser ao mesmo tempo um produtor e um roteador de conteúdo. Mais do que manter o leitor aqui, sempre me preocupei em levá-lo para outros lugares na web já que blog - ainda que muitos esqueçam - também é uma rede social. Tomara que tenha sido um bom guia. :)

Seguirei com o Rock SC, em parceria com meu filho Vitor, e com os blogs da firma (e quem sabe, um novo blog ainda em 2014...). Vejo vocês todos por lá. E mais uma vez muito obrigado pela companhia nestes 10 anos incríveis.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O novo clipe de Paul McCartney

Paul McCartney aproveitou sua passagem pelo Japão para lançar o clipe de "Appreciatte", uma das músicas mais "diferentonas" de New. No clipe, Paul contracena com Newman, um robô que aparece em uma espécie de museu que reúne humanos em cenas do cotidiano - incluindo o Beatle num palco com seu famoso baixo Hofner. Newman parece um primo distante do robô da Hanan, não? :)

Assista ao clipe.



P.S.: Esse é o robô da Havan.


sexta-feira, 25 de abril de 2014

As senhas sonoras da Revolução dos Cravos

Do site da revista de música Blitz, de Portugal, sobre a Revolução dos Cravos:
Duas canções, uma revolução: a história de "Grândola Vila Morena" e "E Depois do Adeus"

Há 40 anos, a operação militar que alteraria o curso da História de Portugal foi desencadeada por duas canções com origens e vozes diferentes. Porquê "Grândola Vila Morena" e "E Depois do Adeus" no 25 de Abril de 1974?

(...)

Num documento secreto onde se explicava aos comandantes operacionais a estratégia para a madrugada de 25 de Abril, Otelo Saraiva de Carvalho indicava as duas senhas de transmissão radiofónica que espoletariam as operações militares da revolução que se seguiria: "Às vinte e duas horas e cinquenta e cinco minutos (22H55) do dia 24 Abr 74 será transmitida pelos "Emissores Associados de Lisboa" uma frase indicando que faltam cinco minutos para as vinte e três horas (23H00) e anunciado o disco de Paulo de Carvalho, "E Depois do Adeus"". O tema de José Afonso deveria ouvir-se mais tarde: "entre as zero horas (00H00) e a uma hora (01H00) do dia 25 Abr 74, através do programa da Rádio Renascença, será transmitida a seguinte sequência: Leitura da estrofe do poema "Grândola Vila Morena" "Grândola Vila Morena / Terra de fraternidade / O povo é quem mais ordena / Dentro de ti ó cidade"; Transmissão da canção do mesmo nome interpretada por José Afonso".

Ler o texto completo no site da Blitz

"Grândola Vila Morena" ganhou uma versão da banda paulista 365, gravada em 1987. Foi pela gravação do 365 que descobri a versão original, a história por trás da música e despertou o interesse pela música portuguesa (de Xutos e Pontapés a Os Azeitonas, passando por GNR, Os Clã, entre outros).

Assista ao clipe da banda 365 tocando "Grândola Vila Morena"(e não deixe de conferir a reportagem da Blitz).

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Minhas Copas: Espanha 82

Durante o fim de semana li Tática Mente, livro do jornalista Paulo Vinícius Coelho em que ele faz um apanhado dos esquemas táticos usados pelas principais seleções na história das Copas desde a primeira, em 1930. Inspirado na leitura de Tática Mente, fiz um exercício de memória e listei as lembranças que tenho das Copas que acompanhei desde a da Espanha, em 1982. Meus amigos de Facebook, Twitter e Instagram já viram o "esquema minhas Copas". Aqui no blog vou detalhar os tópicos do esquema em posts separados por Copas, começando pela da Espanha de 1982.



Copa da Espanha - 1982

- Primeira Copa do Mundo que acompanhei. Tinha 11 anos.

- Gastei uma grana com chiclete Ping-Pong para colecionar figurinhas da Copa.

- Não era torcedor do Flamengo, mas o Zico era o cara da Seleção. Só golaço. Ídolo da minha geração.

- Como sou canhoto, Éder era inspiração nas peladas e nos times que montava e jogava. Passei a querer a camisa 11 e caprichar nas cobranças de falta e chutes de fora da área com força, precisos e bem colocados.

- O toque de bola da Seleção era brilhante e contagiante. Marcante. Definiu para sempre minha "febre de bola" já no primeiro jogo contra a URSS com aqueles dois golaços - de Éder (que gol!) e de Sócrates. Não vamos lembrar o frango do Valdir Perez.

- O camisa 9 era o calo do time. Serginho destoava do restante do time e eu, simpático ao Vasco na época, não entendia a ausência do Dinamite. O mesmo na opção por Paulo Isidoro e Dirceu, que revezavam como falsos pontas. "Bota ponta, Telê", pedia o Zé da Galera, personagem do Jô Soares.

- No fatídico jogo contra a Itália, parte da família se reuniu no almoço para em seguida acompanhar a partida que teve o final que todos lembram. Dois golaços do Brasil (vibração do Falcão no segundo - o de empate - foi demais para o este que vos escreve). Mas o show foi de Paolo Rossi e seus três gols de oportunista após o vacilo do Toninho Cerezo e as falhas no lado esquerdo da defesa do Brasil (dois gols nas costas do Júnior).

- Júnior, aliás, que emplacou nas paradas de sucesso com o hino oficial da Seleção: "Voa, Canarinho, voa". Alguém ainda chama de Seleção Canarinho? Gente tentando emplacar hino é que não falta.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Uma luta perdida contra o copia e cola?

No Roube como um artista, sobre o qual falei no post anterior, há um capítulo que recomenda que você seja chato. E eu sou chato, muito chato com algumas coisas, principalmente no dia a dia na redação. E o que mais me incomoda é o copia e cola desenfreado. Essa cultura sacana do "conteúdo de internet não tem dono". Tem sim. Tem dono. Tem investimento. Tem tempo. Tem dedicação. Tem empenho. Tem custo de produção. E sobra falta de respeito entre colegas e entre veículos. Mas mesmo que eu insista em correr atrás, enviar notificações para quem chupa conteúdo dos veículos online do Grupo RIC, confesso que estou cansado dessa luta. Sábado tive mais um exemplo de que esta é uma luta perdida.

Sexta-feira (11), houve um incêndio numa casa no bairro Saco dos Limões, duas casas atrás da minha. Por acaso, uma equipe do Notícias do Dia estava com os bombeiros que atenderam a ocorrência e o repórter Leonardo Thomé repassou as informações para a redação online que publicou o seguinte texto às 23h47:
Incêndio atinge casa no Saco dos Limões, em Florianópolis
Dentro da residência estavam um casal e duas crianças, que conseguiram sair a tempo

Um incêndio mobilizou os bombeiros e assustou moradores na noite desta sexta-feira (11), no bairro Saco dos Limões, em Florianópolis. O fogo atingiu uma casa que fica na esquina da rua Juan Ganzo Fernandes e com a rua Duque de Caxias. Quatro pessoas, dois adultos e duas crianças, estavam na residência quando as chamas começaram em um dos quartos.

A família conseguiu sair a tempo e foi abrigada por vizinhos. Um morador ainda tentou ajudar a controlar o fogo, mas acabou se ferindo levemente na perna. Ele foi atendido pelos bombeiros e levado ao hospital Celso Ramos. Os bombeiros apuram o que motivou o incêndio.

* Com informações do repórter Leonardo Thomé.

Sábado (12), estava na redação do RIC Mais no Morro da Cruz no plantão do esporte e também da cobertura da nova tentativa de invasão de um novo terreno na SC-401. A TV estava ligada na RBS quando ouço a chamada sobre o incêndio no Saco dos Limões. Fui prestar atenção já que é meu bairro, minha vizinhança. E para minha (desagradável) surpresa o texto da nota coberta (não havia repórter no local; usaram imagens de celular) era praticamente o mesmo publicado no ND Online no dia anterior. Há pequenas alterações, mas trechos inteiros iguais. Vergonha alheia muito grande do profissional que apela para esse tipo de expediente. O link para a reportagem está aqui e transcrevi abaixo o texto da nota para que vocês façam a comparação.
Incêndio no Saco dos Limões assusta moradores da região

Um incêndio ontem à noite numa casa no Saco dos Limões, em Florianópolis, mobilizou os bombeiros e assustou os moradores do local. Dois adultos e duas crianças estavam na residência quando o fogo começou em um dos quartos, mas a família conseguiu sair a tempo e foi abrigada por vizinhos.

Um morador tentou controlar as chamas, mas acabou se ferindo levemente na perna. Ele foi atendido pelos bombeiros e levado ao hospital Celso Ramos e já recebeu alta. Os bombeiros apuram as causas do fogo.

Repassa a pergunta do título do post para os colegas: estou numa luta perdida contra o copia e cola?

terça-feira, 15 de abril de 2014

Anotações sobre "Roube como um artista"

Há duas semanas terminei a leitura de Rouba como um artista - 10 dicas sobre criatividade, de Austin Kleon. O título não é quer estimular o roubo de ideias, muito pelo contrário - e isso é muito bem explicado. É um "guia" para ajudar a desenvolver ou despertar, se for o caso, a criatividade, independentemente do ramo de atividade. O livro é daqueles para deixar sempre à mão para consulta. Fiz algumas anotações e as principais compartilho a seguir.

- Escreva sobre o que gosta;

- Use as mãos na criação (analógico; esquemas e rabiscos) para depois ir para o digital;

- Mantenha hobbies e projetos paralelos;

- Preste atenção e convide outros para prestar atenção também (em um produto, uma tendência, uma dinâmica);

- Compartilhe sem ligar os pontos. Deixe que as pessoas façam as ligações e vejam o resultado do seu trabalho;

- Encontre sempre a pessoa mais talentosa da sala;

- Pense sempre em qual foi a melhor coisa que aconteceu hoje.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Assista ao clipe de "Gigante Gentil", a nova do nosso amigo Erasmo Carlos

Entrou no ar nesta sexta-feira, 4 de abril, no YouTube o clipe de "Gigante Gentil", música do novo disco de Erasmo Carlos, que terá show de pré-lançamento em Florianópolis no próximo dia 25 de abril, na ACM (Associação Catarinense de Medicina). A música (assim como o clipe) mostram mais uma vez que Erasmo está em outro nível em comparação ao seu irmão camarada, Roberto Carlos, cujo último disco anual - só de remixes - está em balaios de promoção à R$ 9,90 em livrarias. A música de Erasmo é que é carne de primeira.



Assista "Gigante Gentil".



Sobre Erasmo, leia os textos que escrevi no ano passado no Notícias do Dia:

Erasmo é uma brasa que não se apaga

Esse cara é o Erasmo

sábado, 29 de março de 2014

Uma conversa de boteco sobre Guns N'Roses

A edição deste fim de semana do caderno Plural, do jornal Notícias do Dia, traz como reportagem principal uma conversa entre seis colegas jornalistas sobre a história e o atual momento do Guns N'Roses, que está em turnê pelo Brasil e toca no dia 1º aqui em Florianópolis. Fui dos convidados da conversa e pelas fotos, como a que ilustra a capa do Plural, o clima não poderia ter sido mais divertido, ainda mais tendo ocorrido num Taliesyn Bar, ainda em reforma, um dos lugares mais rock´n´roll da cidade. Rimos, zoamos, relembramos, elogiamos, lamentamos e até filosofamos sobre quase tudo relacionado a Axl Rose e sua banda.

A conversa está no ND Online. Na foto, em sentido horário, Gabriel Rocha e Bruno Volpato (Trincheira), Rachel Sardinha (Agência Vocali e a maior fã da banda na mesa), Daniel Silva (Rifferama), Fabrício Rodrigues (Café com Polêmica) e eu.

Seis jornalistas que acompanham o Guns N’ Roses desde os primórdios debatem a carreira da banda

Às vésperas do show em Florianópolis, reunidos em uma mesa de bar, eles discutiram os altos e baixos do grupo

quarta-feira, 19 de março de 2014

Os 14 anos do Sou Avaiano

O Esteves Júnior, do Sou Avaiano, me pediu para mandar um depoimento a respeito dos 14 anos do site especializado em notícias do Avaí, completados na semana passada. Na correria, acabei não enviando. Como acompanham as atualizações do site pelo Twitter, não posso deixar de saudar a data. E faço aqui, acrescentam um ponto além do parabéns ao Esteves.

Ainda que hoje seja um agregador de conteúdo sobre o Avaí, o Sou Avaiano é o ponto de partida para um novo momento dos torcedores que passaram a "torcer" também na internet. Não duvido que muitos dos blogueiros que hoje estão na internet atualizando suas páginas passaram pelo canal participativo que havia e que fazia muito sucesso no site lá atrás, quando internet era uma grande novidade a ser conhecida e explorada.

Vejo como importante e essencial essa chama da participação despertada por iniciativas como a do Esteves via Sou Avaiano, apesar de ver muito blogueiros-torcedores (do Avaí e de outros times) agiram da mesma forma que a mídia esportiva, que eles tanto criticam - passando do ponto na arrogância, na vaidade e na falta de bom senso - grandes pecados na comunicação nos dias de hoje.

Parabéns ao Sou Avaiano e que os torcedores que viraram blogueiros inspirados pelo site não desperdicem a chance de fazer o contraponto, sempre necessário com mais ou menos paixão, mas sempre com sensatez e responsabilidade.

terça-feira, 18 de março de 2014

Clientes reclamam no Twitter sobre mudanças na grade da NET

A NET mudou canais de lugar na grade, agrupando por assunto e alterando a numeração desde a madrugada desta terça-feira (18). Ao que parece, a novidade não agradou aos clientes da operadora, apesar do esforço da mesma com a campanha de divulgação. Achei confuso. Fui ao Twitter e encontrei muitos comentando, reclamando e questionando a mudança, que não atingiu os principais canais da Globosat - desconfio que uma das motivações para o agrupamento temático tenha sido os canais Telecine (o canal ESPN Internacional interrompia a sequência só de Telecines - ficava entre o TC Fun e o TC Premium).

Vejam abaixo os tweets com as reclamações dos clientes NET (busquei "NET canais").